Patrimônio Mundial da UNESCO

Na Suíça há onze locais que fazem parte do Patrimônio Mundial da UNESCO; entre outros: a região de Jungfrau-Aletsch (Geleira de Aletsch), as ruínas de palafitas pré-históricas e duas linhas de teleféricos de tirar o fôlego no cantão de Grisões.

Paisagem de Lavaux, uma região vinícola no Lago Léman
As vinhas em socalcos de Lavaux, cantão de Vaud. © www.diapo.ch / Régis Colombo

A UNESCO estabeleceu como objetivo conservar o patrimônio cultural e natural de interesse universal. Ela mantém uma lista pertinente, na qual estão atualmente registrados 981 locais. Onze desses locais encontram-se na Suíça, dos quais, em oito, trata-se de patrimônio cultural mundial (prédios, paisagens urbanas e testemunhas da industrialização iniciante). Nos outros três locais, trata-se de patrimônio natural.

Os três primeiros locais suíços registrados na lista da UNESCO, em 1983, são a Biblioteca do Convento e o Distrito do Convento de São Galo, o a Cidade Antiga de Berna e o Convento Beneditino de Saint-Jean-des-Soeurs em Müstair (cantão de Grisões). Em 2000, foram adicionados os Três Castelos, bem como as Muralhas e Defesas do Burgo de Bellinzona (cantão de Tessino). Em 2001, seguiu-se a região de Jungfrau-Aletsch (cantões de Berna e Valais).

Em 2003, o Monte São Giorgio, em forma de pirâmide (cantão de Tessino), com seus fósseis do período anterior a 250 a 300 milhões de anos, foi reconhecido como patrimônio natural pela UNESCO. Depois, em 2007, seguiram-se os terraços de vinhedos de Lavaux (cantão de Vaud), enquanto as duas linhas ferroviárias Albula e Bernina da Ferrovia Rética foram registradas na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 2008. No mesmo ano, também foi reconhecida a Arena Tectônica de Sardona (cantões de Grisões, São Galo e Glarus) como Patrimônio Mundial. E, um ano mais tarde, seguiu-se a cidade dos relógios, La Chaux-de-Fonds.

O último local registrado até à data, foi introduzido na lista da UNESCO em 2011. Trata-se de 56 locais com ruínas de palafitas pré-históricas de um período entre 5.000 a aproximadamente 500 anos antes de Cristo. Eles encontram-se às margens de lagos e rios ou em regiões pantanosas. A solicitação feita pela Suíça de reconhecimento da obra de planejamento urbano e arquitetônica de Le Corbusier está pendente perante a UNESCO.

Informações adicionais