A Suíça na Guerra Fria (1945–1989)

Foto original do pavilhão „Suíça Armada“ na Expo 64 em Lucerna
Pavilhão em forma de ouriço “Suíça fortificada”, Expo 64, Lausana © keystone

No período pós-guerra, estabeleceu-se, na política interna, um consociativismo, incluindo os sociais-democratas. A partir de 1959, os quatro grandes partidos dividiram permanentemente os sete assentos do Conselho Federal entre si, conforme uma fórmula fixa (“fórmula mágica”). 

A Suíça viveu um boom econômico no período pós-guerra. A sua força residia, conforme a tradição, na área industrial, no entanto, no último quarto do século XX se transformou em uma economia nacional em que o setor dos serviços empregava três quartos dos trabalhadores. No decorrer deste processo, o nível de vida cresceu consideravelmente. As condições de trabalho e a previdência social tornaram-se cada vez melhores e a oferta de bens cada vez mais vasta. 

Uma vez que era e continua sendo uma pequena economia nacional aberta, a Suíça depende do acesso aos mercados estrangeiros. Simultaneamente, durante a Guerra Fria, praticara uma neutralidade estrita entre os blocos, apesar de se sentir pertencente econômica, política e culturalmente ao Oeste. 

A Suíça na Guerra Fria (1945–1989) (PDF, 41.0 kB, English)