A Reforma

Calvino no monumento da Reforma em Genebra
Monumento da Reforma. © Traumrune

No início do Século XVI, a reforma dividiu a cristandade ocidental em dois campos. O movimento reformista iniciado por Martin Luther não via a Igreja visível e o sumo pontífice, o Papa, como mediadores decisivos para a salvação da alma, nem as boas obras do homem como condição para tanto, mas apenas a graça de Deus comunicada por Cristo. O homem poderia obter a salvação da sua alma somente mediante a sua fé incondicional, e este caminho não lhe seria indicado pelo clero, nem por outras pessoas, mas apenas pela sagrada escritura.

A mensagem da reforma teve propagação rápida, especialmente nas cidades. Ela se dirigia sobretudo a pessoas letradas e foi assimilada e cunhada por humanistas. A nova tecnologia da imprensa foi decisiva para o seu sucesso. A Basileia e, mais tarde, também Genebra se tornaram centros de imprensa de importância europeia.

A Reforma (PDF, 212.5 kB, English)